Connect@ADP

Partnering with a more human resource

Como as pesquisas ajudarão o ambiente de trabalho?

Publicado Por: ADPLatAm on 1 novembro 2016 in Gestão do Capital Humano, Non classé

Compartilhe Share on LinkedInTweet about this on TwitterShare on Facebook

Base de dados e informações serão indispensáveis nas empresas que queremos para o futuro. A gente tem falado muito sobre as mudanças no setor de Recursos Humanos e em todo o mercado de trabalho. O quadro entre 10 e 15 anos será bem diferente ao que nos acostumamos até aqui. Mais dinâmicas e eficientes, as empresas estão começando a se preparar para o futuro e para a evolução do trabalho.

Na vanguarda deste pensamento, a ADP lançou este ano um detalhado estudo sobre o ambiente de trabalho no mundo todo. A pesquisa “The Future of Work” conseguiu distinguir, examinando 19 tendências, que daqui a alguns anos “Os funcionários poderão trabalhar remotamente em qualquer lugar do mundo”, “As empresas procurarão os melhores talentos globalmente”, “Uma idade de aposentadoria padrão deixará de existir, pois a escolha da aposentadoria será da própria pessoa”, entre outras informações. Só foi possível fazer uma investigação tão apurada olhando para as pessoas. Foram mais de 2.400 entrevistas e muitas horas de análises.

ambiente de trabalho

Pesquisas como essa, estão se tornando comuns e indispensáveis no ambiente de trabalho e serão fundamentais para o aprimoramento no ambiente profissional. Saber o que pensam, o que desejam e os planos de seus funcionários é importante para qualquer gestor. Uma das tendências para o futuro serão as ferramentas de People Analytics, uma abordagem baseada em dados para a gestão das pessoas nas empresas. Já é possível que o gestor consiga tomar decisões com base em uma análise profunda de seus funcionários, e que ele faça uma reunião e saiba perfeitamente quais são os anseios, trunfos e falhas de seus colaboradores. Além disso, gráficos de desempenho, vendas, produções, salários e rendimentos, estarão disponíveis e às claras. “Esse conjunto de informações vai permitir que o gestor tenha conhecimento da equipe e isso o ajudará imensamente na hora de tomar decisões”, explica o   Diretor  de T.I da América Latina, Jarbas Cruz.

Essa base de dados pode ser essencial, inclusive para insights, saídas e melhorias nas empresas. Com essas informações é possível ser mais assertivo nas decisões. Uma promoção, um aumento de salário, mudança de função, necessidade de mais trabalhadores para determinada função, até as demissões serão embasadas em números e nos rendimentos pessoais. É um avanço e possivelmente uma mudança nas relações entre empregadores e funcionários. Jarbas explica: “Isso quebra um paradigma. Hoje, em muitos casos, ainda temos uma relação pouco empreendedora no mercado de trabalho. O empregado não vê o empregador como cliente, e sim como alguém que simplesmente paga o salário em troca de um trabalho.”.

trabalhar

Foto: MAXScalla

Essa análise nos leva novamente a falar da geração Millennial. Eles, em grande número, já incorporaram no lugar de uma relação funcionário-empresa o relacionamento cliente-fornecedor. O Diretor de T.I da América Latina fala sobre este panorama do ambiente de trabalho. “Quando o gestor começa a ver seus funcionários como fornecedores, o funcionário começa a se ver como um fornecedor e a ver a empresa como um cliente. Se a empresa é cliente do funcionário, ele vai se preocupar com a qualidade do que ele entrega, vai querer entregar cada vez melhor, cada vez mais e de maneira mais eficiente.”.

(Visited 124 times, 1 visits today)
Compartilhe Share on LinkedInTweet about this on TwitterShare on Facebook

TAGS: FOW

Publique uma resposta

Deixe uma resposta

Fill in your details below or click an icon to log in: