Connect@ADP

Partnering with a more human resource

Cuidado com os mitos que podem comprometer um projeto de BPO de RH

Publicado Por: ADP LATAM on 31 julho 2017 in Tendência em RH

Entenda os cuidados que devem ser tomados, o que é mito ou verdade nos projetos de BPO. 

A terceirização dos serviços de RH, apesar de ser um caminho praticamente natural no atual cenário econômico, também pode ser um grande desafio para as empresas. Mas quando os envolvidos no processo se dedicam a entender e tratar todas as questões relacionadas ao BPO (Business Process Outsourcing), antes mesmo da contratação de uma provedora de soluções de RH, as chances de haver uma transição tranquila e suave certamente são maiores, ampliando o desempenho da empresa.

Alguns mitos ou inverdades, e até a falta de comunicação, podem retardar processos de BPO de RH ou até levá-los ao fracasso. Destacamos aqui – e desmascaramos – os mitos mais comuns desse processo.

  1. “Sempre fizemos deste jeito”

Depender das equipes internas pode ser algo caro e demorado. Elas muitas vezes têm escassez de recursos, são sub treinadas e se veem sobrecarregadas. Mesmo que essa  equipe consiga atuar adequadamente hoje, o desafio é saber se ela poderá fazer o mesmo amanhã.

À medida que as companhias passam a competir em mercados em constante mudança, a flexibilidade oferecida pelo BPO pode ser benéfica.

  1. Subestimar o custo real do RH

O custo de execução dos processos de RH são subestimados. Isso é um fato reconhecido por um estudo da consultoria PricewaterhouseCoopers (PwC), sobre o TCO (custo total de propriedade), que constatou que apenas 37% do custo de administração da folha de pagamento e RH são visíveis. Em muitas empresas, esses processos “pertencem” em parte ao RH e em parte às funções de finanças ou TI, entre outras.

O desconhecimento do TCO impacta o resultado econômico, aumenta os riscos e afeta o ROI da terceirização. Para calcular o TCO, as empresas precisam examinar todos os seus processos. Elas também precisam identificar os custos críticos “ocultos”, além dos custos mais óbvios.

Somente com a compreensão real desses custos é que o RH será capaz de proporcionar a eficiência, a economia e as melhorias de serviço tão importantes para o sucesso dos negócios.

  1. Ter uma visão de curto prazo

As pressões do mercado atual podem ser tantas, que os benefícios do BPO no curto prazo se tornem o único foco. Esse é um grande erro, já que o relacionamento entre a empresa e a fornecedora de soluções de RH deve durar vários anos e exige que as empresas ofereçam serviços eficientes e adaptáveis. Portanto, deve-se analisar, entre outros aspectos, a capacidade da fornecedora satisfazer as necessidades futuras de uma empresa e de crescer junto com os negócios.

A construção de uma parceria de longo prazo significa integrar o caso de negócio ao ROI (retorno sobre o investimento) para os próximos 5 a 10 anos. A criação, a gestão e o desenvolvimento de um relacionamento eficaz são fundamentais para o sucesso de qualquer operação de terceirização.

O BPO, antes de tudo, é uma relação que deve ser gerenciada e baseada na transparência e confiança.

  1. Comprar apenas com base no preço

Os departamentos de RH sofrem constante pressão por redução de custos, fazendo da terceirização um meio eficaz e interessante.

Todavia, concentrar-se exclusivamente no custo significa enxergar apenas uma pequena parte do cenário. É mais provável que uma decisão de diretoria seja influenciada pelos benefícios mais amplos da terceirização de RH.

A transformação do RH precisa se concentrar nas necessidades dos clientes internos. O BPO do RH baseado apenas no preço, sem se concentrar no valor que o parceiro pode oferecer, não trará benefícios, já que os níveis de qualidade e serviço serão sacrificados para que se cumpram as metas de custo.

No longo prazo, os clientes internos se decepcionarão. Com a terceirização da administração da folha de pagamento e RH para liberar recursos e permitir que o prestador do serviço trabalhe em parceria (oferecendo os mais altos níveis de serviço e inovação), será possível obter um maior ROI e o custo total de propriedade ideal.

  1. Avaliação insuficiente do parceiro

A escolha de um parceiro para terceirização de qualquer processo é uma tarefa complexa. Quando o assunto é RH, essa complexidade aumenta exponencialmente. Portanto, vários fatores e critérios devem ser levados em consideração para que se possa fazer uma escolha correta e definitiva.

Algumas empresas investem muito pouco tempo ao escolher os prestadores de serviços, o que não é adequado e pode explicar por que somente 25% das empresas estão satisfeitas com as soluções adotadas, de acordo a Pesquisa de Desempenho Global em Folha de Pagamento, do The HackettGroup.

Quando uma parceria dessas ocorre, a empresa não adquire apenas uma solução. Os esquemas de terceirização de administração de folha de pagamento e RH são complexos, e os serviços oferecidos pelo seu parceiro refletirão isso.

A terceirização pode transformar as operações de RH de uma organização e envolve uma relação contínua e um compromisso de longo prazo. Seu provedor deve oferecer soluções inovadoras e flexíveis que atendam as prioridades de negócios à medida que elas mudam, se expandem e se adaptam às pressões do mercado.

  1. Plano de transição inadequado

Uma vez tomada a decisão de terceirizar o RH e a folha de pagamento, pode ser tentador acelerar as mudanças.

No entanto, o sucesso do BPO de RH requer planejamento cuidadoso, gestão ativa das mudanças e uma parceria estreita e de colaboração com o prestador de serviço.

Criação de equipes de governança, gerenciamento do relacionamento, definição de prazos, gestão de custos, gerenciamento de requisitos e definição clara e comunicação das funções e responsabilidades são algumas das etapas do plano que precisa ser traçado antes de uma terceirização de RH.

A pressa na implantação pode suprimir etapas fundamentais, colocando em risco o sucesso do projeto. O que seria a solução para os problemas da empresa, podem se tornar apenas uma transferência dos problemas internos para uma parceira, com foco apenas na redução de custos.

Foto: Ison

TAGS: adp BPO Cuidados HR outsourcing mito outsourcing Projeto RH Tendencias verdade

Publique uma resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *