Connect@ADP

Partnering with a more human resource

eSocial entrou em vigor. E agora?

Publicado Por: ADP LATAM on 19 Janeiro 2018 in eSocial, Notícias & Eventos

“Esta submissão será feita em cinco partes e, caso a companhia não cumpra o primeiro prazo, todas as outras etapas se acumularão”

O eSocial chegou. A primeira fase do projeto do Governo Federal já está em vigor para empresas com faturamento superior a R$78 milhões de reais.

Nesta etapa, que começou no dia 08 de janeiro e se estenderá até 28 do mesmo mês, deverão ser submetidas ao sistema informações como dados cadastrais do empregador e as tabelas, como as diferentes unidades de estabelecimentos, cargos da companhia e rubricas do holerite.

É preciso ter muita atenção nesta hora. Informar corretamente os dados é fundamental para que as próximas quatro fases ocorram sem problemas.

eSocial e a ADP

Aqui na ADP os profissionais estão trabalhando para que os nossos clientes apresentem todas as informações de forma correta. No dia 10 deste mês a empresa incluiu no sistema federal os dados dos empregadores e, a partir do dia 15, serão inseridas as tabelas. Em paralelo, a documentação das empresas menores, que entrarão em julho deste ano, já está sendo preparada.

Valquíria Cruz, gerente sênior de Produtos da ADP Brasil, aconselha que as companhias não deixem para regularizar seus documentos nos últimos dias, pois erros e/ou atraso podem impactar toda submissão.

Diferente de outros Sistemas Públicos de Escrituração Digital (Speds), o eSocial estipula uma ordem para os documentos. Além disso, esta submissão será feita em cinco partes e, caso a companhia não cumpra o primeiro prazo, todas as outras etapas se acumularão. “Por isso é preciso que tudo seja feito corretamente desde a primeira vez, senão vira uma bola de neve”, explicou Cruz.

Se ainda não se regularizou, fique atento!

Para quem ainda não começou a se regularizar, a dica da Valquíria é procurar instituições especializadas. O volume de informações que precisa ser reunido é grande e, com o prazo correndo, esta tarefa fica ainda mais complicada. “O mercado até o começo deste ano olhava incrédulo para o eSocial, pois muitos esperavam que ele fosse ser adiado. Agora que ele é uma realidade, as corporações precisam montar um plano tático para se adequar e ter o mínimo de prejuízos possível”, completou.  

Quais serão os próximos passos?

As outras quatro fases dizem respeito à apresentação dos dados dos trabalhadores e seus vínculos corporativos, folha de pagamento, substituição da GFIP (guia de informação à Previdência Social) e compensação cruzada e, por fim, os dados de segurança e saúde do trabalhador.

Em julho a regra passa a valer para as empresas que obtiveram, em 2016, um faturamento abaixo de R$ 78 milhões, inclusive micro, pequenas e MEIs que tenham empregados. Já os órgãos públicos terão que se adequar a partir de janeiro de 2019.

Foto: Google Images

Publique uma resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Edmundo Alves da cruz says

Quando assumir eu algum cargo na minha empresa