Connect@ADP

Partnering with a more human resource

eSocial. Sua empresa está por dentro do novo cronograma?

Publicado Por: ADP LATAM on 15 Janeiro 2018 in Conformidade Legal, Notícias & Eventos

“O eSocial, projeto do Governo Federal, vai unificar o envio dos dados sobre trabalhadores”

Depois de tantas mudanças e atualizações, agora não tem mais volta, o eSocial está chegando. A implementação acontecerá em cinco fases a partir de janeiro de 2018, segundo o Comitê Gestor do eSocial.

esocial

(Fonte: http://portal.esocial.gov.br/noticias/grandes-empresas-estarao-obrigadas-ao-esocial-a-partir-de-janeiro-de-2018)

De acordo com o cronograma de implantação apresentado pelo governo, a primeira etapa é o cadastro de informações sobre a empresa, como dados do empregador e as tabelas.

As outras cinco fases dizem respeito à apresentação dos dados dos trabalhadores e seus vínculos com as empresas, folha de pagamento, substituição da GFIP (guia de informação à Previdência Social) e compensação cruzada e, por fim, os dados de segurança e saúde do trabalhador.

Os primeiros que devem se adequar às novas normas serão as companhias com faturamento superior a R$ 78 milhões anuais. Para elas, a obrigatoriedade começa a contar a partir de 8 de janeiro de 2018.

Em julho a regra passa a valer para as demais empresas, inclusive micro, pequenas e MEIs que tenham empregados. Já os órgãos públicos terão que se adequar a partir de janeiro de 2019.

Mas na prática, o que muda?

O eSocial, projeto do Governo Federal, vai unificar o envio dos dados sobre trabalhadores abrangendo Previdência Social, Caixa Econômica Federal, Receita Federal e Ministério do Trabalho e Emprego.

Toda esta transmissão passará a ser realizada por meio eletrônico, o que evitará papeladas. Com a unificação não será mais preciso tratar de múltiplos envios de informações ao INSS, ao Ministério do Trabalho ou ao Fisco.

Esteja preparado

Este projeto trará diversas mudanças para todas as empresas brasileiras, multinacionais instaladas no país e companhias que possuem funcionários alocados no Brasil e que sejam remunerados segundo a legislação brasileira, ou seja, obedecendo os recolhimentos de impostos conforme previsto nas leis trabalhistas locais.

Por isso, é importante que a direção da empresa entenda o impacto da mudança e incentive a criação de um grupo de trabalho que reúna as áreas de Recursos Humanos, Tecnologia, Fiscal, Contábil, Logística, Folha de Pagamento, Medicina do Trabalho e Financeiro.

Saiba mais sobre o eSocial clicando aqui

Publique uma resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *