Connect@ADP

Partnering with a more human resource

Fusão e aquisição: como fica a folha de pagamento?

Publicado Por: ADP LATAM on 20 Março 2019 in Folha de Pagamento

Ao que tudo indica, 2019 será um ano agitado no mercado de fusões e aquisições.

Segundo pesquisa feita pela consultoria PwC, esses processos devem crescer 15% este ano e superar os R$ 192,4 bilhões movimentados em 2018.

Para que as transações surtam os efeitos esperados, é normal que as atenções das empresas se voltem aos aspectos legais, financeiros e comerciais.

Esse processo é conhecido como due diligence.

Tudo bem explicado

Para evitar a famosa “rádio peão” e tranquilizar os colaboradores, contar com um plano de comunicação que envolva todas as informações referentes à mudança é essencial. 

Um dos pontos nesse processo é comunicar como fica a folha de pagamento, o que envolve os salários e os benefícios.

Em duas empresas com gestões diferentes, é normal que os salários para um mesmo cargo sejam distintos. Assim como os benefícios.

Além de toda a questão de clima e estilo de gestão, aspectos financeiros impactam diretamente na produtividade do time.

 

Principais pontos

  •  A empresa não pode – em nenhuma circunstância – diminuir o salário de um profissional;
  •  Trabalhadores que tiverem as mesmas habilidades técnicas e uma diferença menor do que dois anos de contratação, devem ter a mesma remuneração. A base sempre será o valor mais alto;
  • Os benefícios concedidos também não podem ser retirados. Devem ser equiparados;
  • As folhas de pagamento das duas companhias devem ser unificadas em um sistema.

 

O aspecto humano

Para o sucesso do processo, não se pode esquecer do aspecto humano.

O choque de cultura e a falta de diálogo com os funcionários sobre os rumos da gestão podem reduzir o potencial da operação. E, até mesmo, colocá-la em risco.

 

TAGS: folha de pagamento fusão e aquisição remuneração

Publique uma resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *