Connect@ADP

Partnering with a more human resource

Igualdade de gênero não é só um discurso na ADP

Publicado Por: ADP LATAM on 31 Janeiro 2018 in Gestão do Capital Humano, Globalização

“O mais importante é focar na conscientização sobre a importância de dar oportunidades iguais”

 Olhe para o quadro de funcionários de sua empresa, incluindo gestores, diretores e presidentes.

Qual a porcentagem de mulheres em cada um destes núcleos?

Segundo o estudo do Cempre (Cadastro Central de Empresas), realizada pelo IBGE, em 2015 a presença feminina nas corporações era de 37,7% – enquanto os homens ocupavam 62,3% das vagas. E este cenário tem mudado pouco ao longo dos anos. De 2009 a 2013, esta participação aumentou apenas 1,1 ponto percentual quando analisados os postos de trabalho formais. 

Colocando em números, este cenário pode assustar. Mesmo sendo a maioria da população, quando fazemos um recorte para o mercado de trabalho, as mulheres não ocupam o mesmo número de postos de serviço que os homens.

De acordo com a pesquisa Instituto Ethos, realizada em 2017, apenas 28,2% das companhias brasileiras possuem algum tipo de política visando a igualdade de gêneros. Esse dado evidencia que as corporações também têm responsabilidade sobre a falta de oportunidade igualitárias.

Igualdade-de-genero-cred_Depositphotos-_ab

Igualdade na ADP

E é isto que a ADP busca fazer desde sua fundação. Tendo a igualdade de gêneros como um dos seus pilares mais fortes, a companhia promove oportunidades para que as colaboradoras se aperfeiçoem, trabalhem em projetos especiais e consigam espaço em processos seletivos para cargos de liderança.

Atualmente, 54% do quadro da companhia é composto por mulheres que são acompanhadas e estimuladas a se desenvolverem e ocuparem cargos de liderança.

Segundo Ricardo Tozetti, gerente de Recursos Humanos da ADP para a América Latina, o mais importante é focar na conscientização sobre a importância de dar oportunidades iguais.

Como exemplo temos os processos seletivos. Quando surge a oportunidade de um novo cargo, o departamento de RH exige que os concorrentes sejam distribuídos igualmente entre ambos os sexos.

“Muitas das vezes vemos short lists com quatro homens e apenas uma mulher. É impossível acreditar que no meio de tantas pessoas qualificadas existia apenas uma candidata hábil para o cargo”, explicou. “Cabe ao RH problematizar esta situação e provocar um debate sobre o assunto”, completou Tozetti.

Além de exigir processos seletivos proporcionais, a ADP realiza com frequência rodadas de debates para que as funcionárias compartilhem experiências e auxiliem outras colegas que estejam passando por situações similares.

“Buscamos criar um sentido de representatividade ao longo da empresa. Uma diretora que entrou na companhia há cinco anos como aprendiz e conseguiu crescer na carreira é um incentivo e tanto para as colaboradoras que estão começando”, afirmou Ricardo.

E o que não faltam na companhia são exemplos inspiradores:

  • Mariane Guerra, vice-presidente de Recursos Humanos para América Latina
  • Julia Nobre, diretora de Relacionamento para América Latina
  • Ângela Rachid, diretora de Suporte Técnico
  • Anna Ziskind, diretora de Serviço ao Cliente

Sem citarmos as gerentes e heads.

Influenciar a igualdade de gêneros em uma corporação aumenta a produtividade, cria identidade e sedimenta um alicerce na empresa. Quando as mulheres sabem que possuem oportunidades para crescer e se tornarem líderes, elas se sentem estimuladas a produzirem mais.

E, caso você ache que na sua empresa não existe preconceito, Ricardo propõe um exercício. “Faça um teste que chamamos de hidden bias (preconceito oculto). Caso sua autoavaliação mostre que você tem um viés para favorecer homens, é necessário reconhecer o que te leva a pensar assim e trabalhar para melhorar. Se despir de conceitos previamente estabelecidos vai fazer não só você crescer, mas como toda a companhia”, explicou.

Foto: Pixabay.com

TAGS: adp Blog Igual Igualdade lideres mulheres

Publique uma resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *