Connect@ADP

Partnering with a more human resource

O papel do Brasil com os refugiados

Publicado Por: ADP LATAM on 24 junho 2019 in Gestão do Capital Humano, Tendência em RH

Até abril deste ano, foram cerca de 99 mil pedidos de refúgio em todo o Brasil.

Cerca de 83 mil deles foram apresentados em Roraima e 16 mil no Amazonas, além de 68,5 mil pedidos de residência temporária.

Desde 2015, por exemplo, mais de 4 milhões de venezuelanos deixaram o país, sendo que a maioria encontra assistência em países latino-americanos, como o Brasil.

Os gastos com as ações militares que o Brasil realiza na fronteira com a Venezuela superam a média anual dos custos que as Forças Armadas brasileira dedicaram às ajudas humanitárias no Haiti.

Segundo informações divulgadas no Estadão, o governo sacou, nos últimos 12 meses, R$ 265,26 milhões dos cofres públicos para apoiar as ações militares em Roraima, na fronteira com a Venezuela.

 

Papel do Brasil

O País é considerado pelo ACNUR um pioneiro na proteção internacional dos refugiados.

O Brasil é o primeiro do Cone Sul a ratificar a Convenção, em 1960, e a integrar o comitê executivo da organização.

Já na legislação interna, conta com a Lei 9.747, de 1997, que reafirma as definições da Convenção e garante aos refugiados os mesmos direitos que qualquer outro estrangeiro no País.

Do ponto de vista econômico e social, o Brasil tem muito a ganhar com o acolhimento, quando bem feito.

Um estudo feito pela consultoria McKinsey mostra que, mundialmente, os imigrantes correspondem a 3,4% da população, mas contribuem muito mais à economia, produzindo quase 10% de toda a riqueza mundial (PIB).

Eles geram US$ 6,7 trilhões para a economia global – cerca de US$ 3 trilhões a mais do que teriam contribuído se tivessem permanecido nos países de origem.

 

Dia do Refugiado

Na semana de 20 de junho, data que se comemora o Dia do Refugiado, a Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) e seus parceiros realizam diversos eventos voltados para a população refugiada e sua integração no Brasil.
A data, que é comemorada desde 2001, surgida de uma resolução aprovada pela Assembleia Geral das Nações Unidas.

De acordo com ACNUR, é uma oportunidade para homenagear a coragem, a resiliência e a força de todas as pessoas que tiveram de deixar suas casas por guerras, conflitos armados e perseguições.

 

TAGS: Brasil dia dos refugiados refugiados

Publique uma resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *