Connect@ADP

Partnering with a more human resource

Como pessoas e robôs podem trabalhar em harmonia?

Publicado Por: ADP LATAM on 5 Fevereiro 2018 in Inovação e Tecnologia

Quando o assunto são as expectativas para o futuro e a presença de robôs no ambiente profissional, há uma divisão acirrada de opiniões.

Há quem demonstra grande interesse em poder dividir as suas tarefas com uma máquina e há outras que temem essa ideia com medo de perder a sua utilidade profissional com a presença de uma inteligência artificial que é capaz de realizar diversos processos.

Essa sensação de que a tecnologia pode tirar a eficiência humana no trabalho não é algo novo.

Desde quando a produção manual foi substituída por aparelhos tecnológicos, na época da Revolução Industrial, as pessoas começaram a se questionar sobre a utilidade e a importância delas perto de uma máquina.

Apesar de já ter ocorrido uma grande transformação digital até o momento, ainda há muito o que inovar.

Como exemplo, temos a tendência dos robôs que ajudam no trabalho das pessoas, que atuam como assistentes pessoais, agendam reuniões e escrevem textos quando ninguém mais está disposto.

Um exemplo desta transformação advinda graças a inteligência artificial é a fábrica da Ford onde humanos e robôs trocam empregos e treinam uns aos outros.

Por conta disso, na opinião de várias pessoas, fica cada vez mais difícil acreditar que máquinas e pessoas poderão trabalhar em harmonia no futuro.

Porém, é necessário esclarecer alguns pontos afim de entender que isso pode ser algo muito bom para todos:

  • Na maioria das vezes os robôs realizam trabalhos que não são considerados seguros para os seres humanos.
  • O responsável pela construção dos robôs são as pessoas por isso não existe a possibilidade de um ser humano exterminar a sua própria raça para dar lugar às máquinas.
  • É importante que todo profissional se especialize cada vez mais, mesmo após uma graduação completa, pois ter um conhecimento geral em várias áreas pode não competir com uma máquina mas o difere de outros profissionais dentro do mercado, e garante o seu emprego.
  • Com os robôs fazendo serviços repetitivos e mecânicos, sobre mais tempo para que os funcionários se aprofundem em atividades que demandam mais raciocínio e lógica.
  • Diversos especialistas não consideram a inteligência artificial como uma ameaça para o ser humano, pois as máquinas nunca serão capazes de ocupar posições estratégicas que demandem criatividade, afinal são aparelhos para uso, predominantemente, operacional.

O ideal é buscar o equilíbrio desta parceria, em que um complemente o trabalho do outro para aumentar a produtividade sem que aconteça uma sobrecarga para apenas um dos lados.

Afinal, a produtividade mecânica com a capacidade de usar o conhecimento de um humano colabora para um trabalho bem mais efetivo – e ter a consciência disso é primordial.

TAGS: inteligência artificial

Publique uma resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *