Connect@ADP

Partnering with a more human resource

Precisamos falar sobre o bullying nas empresas

Publicado Por: ADP LATAM on 29 Maio 2019 in Gestão do Capital Humano, Tendência em RH

 Metade dos trabalhadores passou ou está passando por agressões morais no trabalho.

É o que aponta pesquisa realizada pela BBC com 4.975 profissionais de todas as regiões do Brasil.

 De acordo com o estudo, 52% sofrem ou já sofreram bullying e 34% já presenciaram situações assim.

 

O que é bullying?

Não há uma definição específica do que é o bullying no ambiente corporativo.

De maneira geral, se entende como padrões de comportamento abusivos, ameaçadores, intimidantes ou questionáveis.

Esses padrões podem ser físicos, psicológicos ou verbais e acontecem tanto entre superiores e subordinados, quanto entre pares.

Apesar de ser um problema sério é, muitas vezes, negligenciado pelas empresas, além de não contar com regras específicas para a punição.

A discriminação por raça, gênero ou classe social, por exemplo, é amparada por recursos legais.

Reflexos na empresa

Os efeitos do bullying nos funcionários são variados – depende muito do perfil da pessoa.

Pode incluir desde queda de produtividade até problemas de saúde relacionados ao estresse, incluindo pensamentos suicidas, de acordo com o British Medical Journal, uma das publicações mais importantes sobre medicina no mundo.

Além disso, a companhia pode perder talentos, elevando a rotatividade – o que prejudica sua reputação e imagem no mercado.

Além disso, também pode aumentar os custos com seguro saúde.

Isso sem falar no impacto nos resultados, já que o funcionário passa a faltar mais e produzir menos.

 

O que fazer

Como a maioria dos países não conta com uma política específica de bullying, cabe aos empregadores criar, manter e aplicar práticas relacionadas ao tema.

Isso envolve desde ações relacionadas à qualidade de vida até a criação de códigos de conduta e canais de comunicação para denúncias.

É importante estabelecer ações preventivas, promover treinamentos constantes e deixar claro aos gestores a postura que a empresa espera deles.

Contar com uma ouvidoria e um RH ativo também pode minimizar os casos de agressões verbais.

Porém, é essencial que a cultura da empresa esteja clara para todos.

Divulgue, em treinamentos ou nas redes sociais corporativas, o que a organização considera como assédio moral e exemplos de comportamentos inaceitáveis.

Também estimule sempre um ambiente de colaboração, não de competição.

TAGS: Bullying gestão de pessoas RH

Publique uma resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *