Connect@ADP

Partnering with a more human resource

Como aprimorar o relacionamento do RH junto aos colaboradores

Publicado Por: ADPLatAm on 27 janeiro 2017 in Gestão do Capital Humano, Non classé

Compartilhe Share on LinkedInTweet about this on TwitterShare on Facebook

O desejo de qualquer empresa é que o relacionamento do departamento RH seja cada vez mais próximo dos colaboradores, dessa maneira as áreas trabalham de maneira transparente e toda a empresa, alinhada. No entanto, o que percebemos é que nem sempre essas duas engrenagens rodam em total sincronia. E, apesar de décadas de inovação tecnológica, empresas e seus setores de RH continuam preocupadas com o principal ativo de uma organização: a sua força de trabalho.

Diante deste cenário, é necessário questionar: quanto as corporações estão de fato envolvidas com seus colaboradores? Por este motivo, ao revisitar um estudo recente do Instituto de Pesquisa ADP em relação à perspectiva dos colaboradores ao RH, é possível notar que ainda existem diferenças de percepções nesta relação, o que abre espaço para reavaliar as práticas nas empresas.

Esse estudo ouviu empregados globais, líderes de RH, e diversos executivos sêniores e encontrou algumas disparidades em suas percepções sobre as principais métricas de Gestão do Capital Humano (HCM), independentemente do tamanho da indústria e localização da empresa.

Qual o tamanho dessa desconexão em relação ao relacionamento do RH?

Os estudos do Instituto de Pesquisa ADP mostram que os trabalhadores de todo o mundo têm uma percepção diferente do que acreditam executivos C-level e líderes de RH. Dentre algumas delas estão:

• Empregados classificaram o nível da sua remuneração e benefícios menos atrativos do que consideram o RH e gestores;

• Oportunidades de carreira, consideradas por muitos como um fator-chave para a retenção de talentos, para uma boa parte dos colaboradores possui uma classificação baixa dentro de um quadro de prioridades, diferentemente do que acredita o RH;

• A liderança sênior geralmente é mais bem avaliada pela área de Recursos Humanos do que pelos próprios colaboradores.

A diferença de percepção entre o RH e os empregados sobre como a organização é administrada tende a aumentar conforme a empresa se torna maior. Em algumas regiões, a diferença pode chegar a 38%. Tais disparidades podem ser avaliadas pelas companhias como uma forma de reavaliar práticas, em especial para melhorar o dia a dia de trabalho e o convívio diário das partes envolvidas neste processo.

Preenchendo as lacunas no relacionamento do RH

O RH é o departamento com o maior potencial para impulsionar o desempenho do negócio em uma companhia. A forte ligação entre a área e a força de trabalho pode ser um forte indicador do alinhamento do principal ativo de uma empresa com a sua estratégia de negócios. Além disso, ele também pode demonstrar a eficácia dos esforços da gestão de talentos. Mas, manter essa conexão é um importante desafio para o relacionamento do RH, já que um setor de RH alinhado às expectativas dos colaboradores garante melhores chances de aproveitar oportunidades.

Uma empresa que não possui esse nível de conexão certamente terá seu desempenho comprometido. É como se um elo fundamental no meio de toda a engrenagem corporativa se rompesse. Mas, quando tudo caminha em sincronia, pode-se ter certeza que o relacionamento do RH exerce uma boa influência sobre os empregados, garantindo assim total engajamento.

Sabemos que o número de companhias que conseguem estabelecer um alto nível de conexão ainda é baixo; entretanto, estar ciente que existem diferenças de percepções dentro de uma empresa já indica qual o caminho a ser percorrido.

Foto em destaque: JavaScript

(Visited 146 times, 1 visits today)
Compartilhe Share on LinkedInTweet about this on TwitterShare on Facebook

Publique uma resposta

Deixe uma resposta

Fill in your details below or click an icon to log in:

Gustavo Woltmann says

Na minha opinião, a própria empresa não conhece seus funcionários. A partir do momento que ela souber o que pensam os colaboradores, pode trabalhar no bem estar e criar projetos para reter os talentos.