Connect@ADP

Partnering with a more human resource

Você trabalha além do horário? Veja como essa questão é vista pelo mercado

Publicado Por: ADPLatAm on 16 June 2017 in Non classé, Tendência em RH

Compartilhe Share on LinkedInTweet about this on TwitterShare on Facebook

Independentemente se você é autônomo ou contratado por uma grande empresa, já deve ter olhado para o relógio em um dia muito atarefado e percebido que trabalhou mais do que deveria.

 

Mas você sabe qual é o limite da jornada de trabalho no Brasil?

 

Atualmente, é estabelecida a contagem de oito horas diárias e 44 semanais, mesmo que muitas vezes não consigamos seguir à risca essas delimitações – seja por prazos curtos, entregas emergenciais ou diversas demandas que aparecem em nosso dia a dia e que não podem esperar o dia seguinte.

 

O que o mercado acha disso

 

Trabalhar para além do horário pode ser visto, pelo senso comum, como um sinal de produtividade, mas não é bem assim que o mercado enxerga esse tipo de esforço.

 

Segundo publicado pelo Business News Daily no ano passado, diferentes estudos apontam que longas horas no escritório podem até diminuir a produtividade de um colaborador devido ao stress – e, para evitar esse problema, alguns especialistas chegam a orientar folgas ou ainda um tempo longe do escritório.

 

O Enterpreneur reforçou essa questão em uma matéria deste ano. Segundo o autor, as melhores oportunidades de trabalho “também dormem, também tiram férias, também sabem quando chega a hora de se desligar e prefere que cada colaborador faça o mesmo”. Ele chega a apontar que, segundo pesquisas, se reunirmos todo o tempo extra que dedicamos às nossas tarefas, especificamente acima de 50 horas, todo esse acumulado pode refletir em uma verdadeira perda de tempo.

 

E de quem é a culpa?

 

Apesar de concordar com essa narrativa, a Harvard Business Review aponta, em texto de 2015, três motivos pelos quais as pessoas costumam trabalhar demais: porque seus chefes solicitam; porque a tecnologia nos possibilita estarmos sempre conectados; e, por fim, porque as pessoas estão motivadas, culturalmente, para entregarem mais do que deveriam.

 

Seja qual for a motivação, a publicação aponta, também, que estudos comprovaram que o excesso de afazeres não nos ajuda a fazer um bom trabalho. Até porque, mesmo que gostemos de nossos empregos, o corpo também precisa de um descanso – ou seja, longas horas desempenhando a mesma tarefa pode nos deixar mais suscetíveis a cometer erros.

 

O que as empresas podem fazer

 

O departamento de Recursos Humanos, junto às lideranças de cada setor de uma empresa, tem que estabelecer os limites necessários para que longas jornadas de trabalho não se tornem rotina nas equipes – e, também, para que a legislação seja seguida.

 

Um trabalho em conjunto, que também escute as demandas de cada colaborador e compreenda suas rotinas, auxilia no direcionamento de prioridades, no entendimento do porquê algumas pessoas trabalham mais do que as outras e, também,ajudam na manutenção de um ambiente mais saudável e equipes motivadas – e, principalmente, descansadas!

 

Texto escrito por: Luiz Thomaz

 

(Visited 226 times, 4 visits today)
Compartilhe Share on LinkedInTweet about this on TwitterShare on Facebook

TAGS: Brasil Gestão de Capital Humano HR RH

Publique uma resposta

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in: